Recomendações para reintrodução da atividade física e treino - Atualização 18 de Maio de 2020

Prorrogação do decreto de situação de calamidade

O decreto de prorrogação da situação de calamidade, aplicável desde hoje, não traz grandes novidades para a prática de ciclismo. Ainda assim, há notas que todos devemos ter presentes.

Todos os ciclistas - de competição, de lazer e de prática quotidiana como meio de transporte - podem continuar a usar a via pública para a sua atividade velocipede.
São permitidos treinos coletivos em contexto de equipas de competição e de formação, em grupos com o máximo de cinco corredores. Se o grupo tiver mais de cinco ciclistas deve ser dividido em subgrupos, mantendo-se uma distância mínima de 20 metros entre cada subgrupo. Segundo o decreto legal, os ciclistas profissionais e aqueles que tenham estatuto de alto rendimento podem treinar em grupos superiores a cinco ciclistas.
Quando se pratica atividade física de lazer ou se usa a bicicleta como meio de transporte, podem juntar-se dois ciclistas no máximo. Neste caso há que respeitar as normas de segurança sanitária. Chama-se a atenção para a necessidade de distanciamento mínimo de dois metros entre cidadãos, para atividades que se realizem lado-a-lado, ou de quatro metros, para atividades em fila.

O decreto que hoje entra em vigor permite aos ciclistas profissionais e de alto rendimento a prática sem as normas de distanciamento descritas no número anterior, admitindo ainda a utilização de balneários e a partilha de materiais e equipamentos. Apesar disso, o departamento clínico da Federação Portuguesa de Ciclismo recomenda fortemente que os treinos e a prática de atividade física sejam feitos, sempre que possível, de forma individual, guardando distância de segurança, sem partilha de materiais e de equipamentos e sem a utilização de balneários comunitários.

Os documentos legais e as recomendações da Federação Portuguesa de Ciclismo podem ser consultados aqui: https://www.fpciclismo.pt/pagina/recomendacoes-covid-19