MANUAL DE DESCONFINAMENTO DO ADEPTO DE CICLISMO DE ESTRADA

O ciclismo está de volta e nós podemos regressar à berma de estrada para assistir ao espectáculo e incentivar os nossos heróis, mas devemos ter cuidados adicionais relativamente ao passado:

1 - Evitar as zonas de partida e de meta. De forma a proporcionar as melhores condições de segurança sanitária, a área das equipas será delimitada e os adeptos não terão acesso a ela. O cumprimento, o afeto e a proximidade com os corredores e demais elementos da caravana fazem parte do ciclismo. Mas são um extra. Aquilo que importa verdadeiramente são as competições: o esforço dos ciclistas, a tática das equipas, a capacidade física e a inteligência de corrida dos atletas. Para termos o essencial, nesta primeira fase, devemos abdicar daquele extra que nos dava prazer a todos - adeptos, ciclistas e todos os demais agentes da modalidade. Devemos colocar a integridade dos atletas e a saúde pública primeiro para podermos vestir a camisola amarela aos melhores corredores.

2 - Escolher locais com pouca aglomeração de público para ver passar as corridas. Se aquele ponto mais espectacular, a subida mais íngreme, já estão ocupados por outros adeptos, escolhamos outro ponto para ver a prova. Os ciclistas agradecem o incentivo do público ao longo de todo o percurso. Não é necessário que nos concentremos nos mesmos locais.

3 - O calor do público ajuda a superar as dificuldades numa das modalidades mais duras de todas. No atual momento, devemos privilegiar o incentivo por aplausos. Se não prescindir do incentivo oral, de gritar o nome dos seus ídolos e de dar uma força por palavras, use sempre máscara de proteção certificada, mesmo ao ar livre e num local sem outros adeptos por perto.

4 - Partilhar a paixão pelo ciclismo com outros adeptos é das coisas que nos dá mais prazer, discutir as corridas, o desempenho das equipas e dos corredores e a dificuldade dos percursos, fazer prognósticos. Partilhe a paixão com outros adeptos. Em grupos pequenos, mantendo o distanciamento social e observando as normas de etiqueta respiratória.

5 - Faça sentir a paixão dos portugueses pelo ciclismo também por meios eletrónicos. Siga a Federação Portuguesa de Ciclismo no Instagram e no Facebook, esteja atento ao portal federativo na Internet para ter toda a informação atualizada sobre o seu desporto de eleição. Acompanhe as corridas na comunicação social. Partilhe informações nas suas próprias redes sociais. Não podemos promover grandes ajuntamentos nem fomentar banhos de multidão nas estradas, que devem ser deixadas, primordialmente, para os ciclistas. Mas podemos criar uma grande onda de ciclismo no país.

6 - Se pensar em acompanhar fisicamente os eventos velocipédicos, faça-o sempre em segurança, pondo os demais em segurança também. Esteja sempre atualizado sobre as melhores práticas de proteção em tempos de pandemia pelo novo coronavírus através do site da DGS. Antes de sair de casa faça-se acompanhar de máscara de proteção certificada e de solução aquosa de base alcoólica 70% (SABA).

7 - Se pertencer ao grupo de risco definido pela DGS para a transmissão ou doença grave associada a COVID-19, tenha especial precaução. Desaconselhamos o acompanhamento presencial da prova, acompanhe-nos pelos canais digitais.

8 - Se tiver algum dos sintomas associados à presença da COVID-19 (tosse, febre, dificuldade respiratória), ou estiver a aguardar fazer teste para diagnostico de SARS-Cov-2 por indicação médica, deverá abster-se de acompanhar presencialmente a corrida. Fique em casa, cumpra o isolamento social, contacte a linha SNS24 808 24 24 24 e obedeça às recomendações dadas.